cysnenegro

segunda-feira, dezembro 27, 2004

A Cabra, ou quem é Silvia

No outro dia fui ver a peça de teatro na Comuna: "A Cabra, ou quem é Silvia". Achei delirante e absolutamente delicioso. A história é sobre um homem que se apaixona por uma cabra em que o autor consegue por as pessoas a pensar sobre a normalidade do amor.
O tema de sexo com animais permanece, contudo, algo longe, e no entanto penso se este não será mais comum no mundo rural de que o sexo entre pessoas do mesmo sexo.

quarta-feira, dezembro 22, 2004

Pré campanha eleitoral???

Ontem, ao fazer um zap na televisão, vi, na RTP 1, um tempo de antena que ao princípio me deixou baralhado. Era do PSD a falar do Governo e do Orçamento do Estado, a desculpabilizar o Governo de qualquer coisa (seria??), mas que para mim parecia tal e qual que já estava em plena campanha eleitoral, só faltava dizer no final "VOTE PPD/PSD"!!!!
Que fazia um tempo de antena dum partido a desculpabilizar um governo? Em pleno horário nobre! Fora de campanha eleitoral? Eu sei que os partidos têm esses privilégios, mas este parece-me um pouco puxado. Pronto! Fiquei na minha, não conheço os dados todos, se calhar sou eu que estou a fazer tempestade num copo de água!
Mas qual não é o meu espanto quando hoje sei que o governo mandou publicar um encastrável sobre o Orçamento de Estado num dos quatro jornais com maior tiragem nacional! ! Algo tão bem calendarizado parece-me definitivamente rebuscado e muito campanha eleitoral...
Será só impressão minha???

sexta-feira, dezembro 17, 2004

Esses bichos que comemos…

Normalmente o cuidado que temos com os produtos animais que consumimos, como a carne, ovos, leite ou mel, começam nos escaparates do supermercado e acabam no prato. Confiamos o processo que decorreu até à compra do nosso produto a alguém que tenha o trabalho de se preocupar até lá. E bem precisamos de confiar, que a nossa capacidade de nos preocuparmos com as coisas que nos rodeiam é finita e tende para diminuir! Na maioria dos casos a escolha corre bem e nunca dedicamos mais de um nanosegundo ao problema, mas volta e meia alguém se preocupou por nós e aí começa o zelo consumista: são os nitrofuranos nas aves, a BSE das vacas, os metais pesados no mel, ou os antibióticos no leite. E depois de provocarmos uma verdadeira crise no sector de produção dos animais em questão, passam-se uns tempos e volta-se à normalidade, ou seja, à despreocupação rotineira. Volto a referir que esta despreocupação não é necessariamente errada, no final confiamos que os produtos hão-de ter passado por uma vigilância de um técnico, e o mantermo-nos vivos, mais ou menos saudáveis, e com uma esperança média de vida a aumentar, é prova de que o sistema vai funcionando.
Depois, no consumo de carne, há outra evidência de que nós raramente pensamos: é que não comemos carne viva, temos de abater os animais, mata-los para comer. Só a ideia repugna a muitas, mas se não nos tornarmos vegetarianas, algo que não defendo, uma morte há-de ter que ocorrer para o bife chegar ao prato. Aqui é que maior parte de nós não quer saber. Gostamos de ver a vaquinha no pasto e o bife no prato. Não ligamos estes dois acontecimentos e rapidamente arrependemo-nos da ideia de nos lembrarmos de perguntar como é que isto ocorre. Costumo dizer que a primeira pessoa que invente a morte 101% indolor há-de receber o prémio Nobel da paz, física e química num só ano! Não há mortes fáceis, mas há as “cirúrgicas”, e são essas a maioria que consumimos.
Resumindo: tudo isto exige uma certa entrega de confiança às pessoas que zelam pela produção de produtos de origem animal, os agricultores, pastores, zootécnicos ou veterinários, e assim tem de ser se não quisermos dar em doidas com tantas coisas com que nos preocuparmos. Mas o não nos preocuparmos não quer dizer não dediquemos uns minutos a pensarmos nisto e não tenhamos respeito por esses bichos que comemos.

Texto publicado na Zona Livre nº 44, de Novembro de 2004

Feed-back duma visita de estudo

Num dia destes fiz uma visita guiado ao campo à Escola Secundária Emídio Navarro de Almada. Muitas vezes acabo por não ter feed-back da visita, mas neste caso fui depois convidado para ir ver uma exposição, que os alunos fizeram na escola, sobre a sua visita à Lourinhã. Senti-me verdadeiramente recompensado! Os alunos trabalharam ideias de uma forma original e tão incríveis. Com tão pouco montaram toda uma exposição sobre dinossauros com jogos de glória, fotossauros, ecrãs de powerpoint, palestras, oficinas de moldes, estendal crono-geológico! Espantoso.
Tenho que referir que eram alunos do 10º, na maioria com 14/15 anos!

quinta-feira, dezembro 09, 2004

Novo pecado original...

Ontem fiquei a saber que desde há 150 anos considera-se também um dogma da fé Católica Apostólica Romana que a Virgem Maria era uma virgem ao quadrado, isto é: também ela foi concebida sem o pecado original! E é aqui o dogma da fé!
Ok! Que Jesus possa ter sido criado sem o tal pecado original, já levanta algumas suspeitas, agora que a mãe também o tenha sido... É preciso pachorra... isto não é congénito nem genético!
Numa altura em que a Religião deve, cada vez mais, aliar-se à ciência, inventa-se nova patacoadas destas!
Haja fé para tanta coisa!
'Jocas
cysnenegro

terça-feira, dezembro 07, 2004

Mesa eleitoral

Vai haver 3 actos eleitorais já em 2005 e eesta é uma oportunidade para termos uma aula prática de cidadania e de funcionamento democratico. Já fiz uma vez parte de uma mesa eleitoral, dumas autárquicas e, apesar de achar a experiência um pouco cansativa e entediante (eleições pouco concorridas) achei-a muito enriquecedora.
Estas eleições prometem ser mais participadas, ou não estivessemos nós em crise política, por isso aconselho: Se és jovem, tens mais de 18 anos, não fazes parte de nenhuma lista eleitoral e interessas-te por cidadania, experimenta fazeres parte duma mesa de voto!

P.S.: Não me responsabilizo se não aprenderem nada com isso!

'Jocas

domingo, dezembro 05, 2004

Cá está o Blog mais esperado por mim!! Já com madrinha e tudo!
http://gengibrelilas.blogspot.com/
E agora beijocas que ainda tenho de descobrir como é que isto funciona!